Uma fraude de US$ 2 bilhões e o blockchain

Ninguém poderia ser mais interessado em desenvolver novas tecnologias que poderiam evitar fraudes financeiras do que o banco suíço UBS. Em Setembro de 2011,  o tradicional banco suíço anunciou perdas de US$ 2 bilhões devido a operações não autorizadas realizadas pelo trader Kweku Adoboli na mesa de Synthetic Equity do escritório do banco em Londres. As perdas foram tão significativas que o CEO do banco na época pediu demissão.

Centro de trading do UBS
Centro de trading do UBS

Passados 4 anos deste incidente, o banco suíço acaba de anunciar que vai abrir um laboratório em Londres para explorar maneiras de utilizar a tecnologia do blockchain em transações financeiras. O laboratório irá tentar desenvolver novas tecnologias para lidar com questões da indústria financeira em geral, como a necessidade de gerenciar e analisar grandes quantidades de dados, ou como melhorar a análise de risco. Exatamente o que poderia ter protegido o banco e seus acionistas em 2011.

Como as operações feitas por Adoboli possuiam contrapartidas (hedges) falsos que ele mesmo inputava e aprovava no sistema de backoffice do banco, um sistema de liquidação por consenso na linha do blockchain e aberto a outros bancos participantes poderia ter detectado os trades fraudulentos. É claro que isso não é algo trivial e deve ser justamente por isso que o UBS está sendo um dos pioneiros entre os grandes bancos de investimento a experimentar com o blockchain.

Além do UBS, vários outros banco já sofreram enormes prejuízos com esse tipo de trades fictícios. Na lista estão Société Générale, o extinto Barings e outros. Acreditamos que outros bancos devem seguir os passos do UBS em procuras de soluções usando algo similar ao blockchain.

O ex-trader do UBS, Kweku Adoboli
O ex-trader do UBS, Kweku Adoboli

 

O Chief Information Officer do UBS, Oliver Bussmann, declarou em Outubro do ano passado que a tecnologia do blockchain tinha potencial “não só para mudar a maneira que fazemos pagamentos como iria mudar todo o tópico de trading e liquidação.” 

Desejamos boa sorte para o UBS neste projeto!

 

Enviar Comentário