Mineração de Criptomoedas

Guia de Mineração de Criptomoedas – Parte 2

RECEBI TUDO, E AGORA?

Apesar da greve dos Correios, recebi a placa mãe e os cabos Risers da China em 50 dias corridos. Dei sorte na alfândega e não paguei imposto. Os demais produtos: CPU, memória, SSD e fonte comprei no MercadoLivre. As placas de vídeo, como havia mencionado no post anterior, consegui direto no atacadista. Ok, e agora? Basta montar como um PC normal?

Conjunto de peças e equipamentos para mineração de criptomoedas

CHOQUE DE REALIDADE

A resposta simples da pergunta anterior está nesta foto: montar um RIG de mineração não é nada fácil, mesmo para quem possui experiência em montagem de micros. Existem infinitas configurações: cabos riser, adaptadores Pci-E > M.2 (NGFF), adaptadores sata > 6pinos, diversos modelos de placa-mãe, limite de placas AMD e/ou NVIDIA, etc. Lembre-se que ainda nem chegamos na parte de software e customização de BIOS das placas de vídeo.

Computador de mineração sendo montado

BELEZA, EU PAGO ALGUÉM

Digamos que você resolva pagar alguém para montar seu RIG, ou compre um pronto. Tenha a mais absoluta certeza que serão necessários ajustes regulares no software, mais de 1x por mês. Isso, obviamente, se nenhum fan/placa riser queimar no caminho. Mineração de critpomoedas é um business de TI, e de maneira alguma é recomendado para alguém que não possui experiência na área.

 

CENAS DOS PRÓXIMOS CAPITULOS

No próximo post mostrarei a montagem do equipamento no frame, espécie de rack/gabinete, e softwares necessários para mineração utilizando placas de vídeo (GPUs). Lembrando que existem outros tipos de mineração: ASIC e Scrypt, que não vamos abordar por enquanto.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta