Carteira de US $1 trilhão: o grande plano da BitGo para garantir as maiores fortunas da Bitcoin

Em 2013 as maiores carteiras bitcoin protegidas pelo provedor de segurança blockchain BitGo detinham cerca de 10 milhões de dólares em criptomoedas. Em 2015, eles chegaram a cerca de 100 milhões de dólares. E o que parecia impossível nos anos anteriores aconteceu, em 2017 as maiores carteiras de cripto da BitGo chegaram perto de 1 bilhão de dólares.

O CEO da BitGo, Mike Belshe, dará uma palestra no mês que vem na Universidade de Stanford, intitulada “Protegendo a Carteira de 1 Trilhão de Dólares”. Em um mundo de tudo tokenizado – para não mencionar os fundos hedge e outras instituições redefinindo o significado de um investidor cripto whale – isso não parece mais exagero.

Belshe frizou:

“Agora estamos realmente pensando, o que é preciso para garantir um trilhão de dólares? Pode ser um pouco distante, mas temos que começar a pensar nisso agora; temos que começar a projetar agora para chegar lá.”

Para projetar um sistema como esse é necessária uma mistura complexa de hardware e software, políticas e procedimentos, sem mencionar o cumprimento de requisitos regulamentares auditados externamente ( recentemente a BitGo recebeu aprovação nos EUA para atuar como um custodiante qualificado para ativos digitais em interesse de investidores institucionais).

Um consultor de segurança disse à equipe de Belshe, que construir um cofre seguro para uma quantia tão gigantesca de dinheiro basicamente se resume a duas coisas: crianças e dedos. Segundo ele é fácil manter a chave privada criptografada controlando uma carteira de bitcoin armazenada em um pedaço de papel ou em um dispositivo de hardware desconectado da Internet e trancado em um cofre. Mas se alguém entra no seu escritório e está pronto para cortar o dedo do seu filho ou colocar uma arma na cabeça ele, o que você vai fazer? Claramente, o acesso rápido e pronto a esses ativos significa que a segurança será violada. Para ele o truque é casar tecnologia com processos e controles de tal forma que seja difícil conseguir o dinheiro ou pelo menos para que a movimentação da grande maioria dos ativos envolva muitas pessoas independentes.

Muito dinheiro

Para Belshe se tornar um custodiante qualificado levou anos, e ele viu a BitGo chegar perto de adquirir a custódia qualificada Kingdom Trust, antes de ir sozinha para estabelecer a BitGo Trust.

Com esse novo título, a BitGo, que atualmente lida mensalmente com cerca de 15 bilhões de dólares de transações em cripto, está provavelmente à frente na corrida para garantir ativos digitais para o conjunto institucional. Os concorrentes neste setor incluem o fabricante de hardware Ledger, o tradicional banco norte-americano Northern Trust e a startup de blockchain itBit.

Mas Belshe vê a inevitável evolução em direção aos ativos digitais como uma onda crescente que vai beneficiar todos da indústria. Ele também admitiu que os clientes estão realmente procurando custódias com grandes planilhas de balanços, algo que a BitGo não tem hoje. Ele disse que adoraria que os grandes jogadores colocassem em primeiro lugar a segurança de sua custódia de ativos digitais e que isso seria maravilhoso para todos.

Ele disse que a BitGo tem conversado com muitos fundos de hedge e descobriu que há vários que não podem esperar um período de 30 dias (durante o qual o público pode registrar objeções à aprovação da empresa) para que possam usar seu serviço de confiança.

Em detalhes, alcançar o mesmo patamar que provedores de custódia qualificados envolve obter certificação de terceiros de políticas e procedimentos, ou SOCs (controles de sistema e organização). A BitGo atingiu agora as certificações SOC I e II, com a auditoria das realizadas pela Deloitte. É uma extensão que poucas, se é que alguma, outra empresa do setor cripto têm, disse Belshe.

Reivindicações de seguro

O próximo grande passo da startup é um produto de seguro cripto a ser lançado dentro de alguns meses. Esse seguro normalmente cobre os investidores quanto a riscos como roubo. A BitGo não iria escrever as políticas, mas sim rotular o produto com uma seguradora estabelecida.

“As reclamações de seguro são amplas e muitas vezes não têm valor”, disse Belshe “Qualquer um que esteja olhando para o seguro, ou um provedor que alega ser segurado, pede que eles realmente lhe mostrem quais são os limites da [cobertura]”.

Isso pode ir mais a fundo. Por mais difícil que seja diferenciar o armazenamento a frio da BitGo da solução de armazenamento a frio de outra pessoa, também é difícil diferenciar uma reivindicação de seguro total de outra, citou Belshe. Muitas vezes, você está lidando com políticas pequenas de 10 milhões de dólares ou menos, que podem até não cobrir o roubo.

Belshe reconheceu que os subscritores estão lá para fornecer um serviço e não querem ser usados como marketing, mas no final, a transparência total deve ser disponibilizada para os clientes. Alguém que oferecesse um ótimo programa de seguro encontraria uma maneira de obter transparência para qualquer um que quisesse revisá-lo, mesmo que tivesse que fazer isso sob um acordo de confidencialidade (NDA), disse Belshe, concluindo:

“Se eles não estão dispostos a falar com você sobre isso, é uma bandeira vermelha. Eu garanto a você, se for em segredo, há uma razão para isso ser segredo.”

 

Leia Também: E-book INÉDITO de Ethereum (ETH) da corretora FlowBTC

FlowBTC

Comprar e vender Bitcoin, Ether, Bitcoin Cash e Litecoin é na FlowBTC. A FlowBTC é a plataforma mais segura e rápida do Brasil, com 3 anos de existência, nunca saiu do ar e nem foi hackeada. Além disso, é a única corretora brasileira que faz parte da Enterprise Ethereum Alliance. Invista com especialistas, abra já sua conta em https://www.flowbtc.com.br/

Quer ficar por dentro de mais conteúdo? Siga o BrBitcoin nas redes sociais:
Comentários do Facebook

Deixe uma resposta